Como Envelhece a Nossa Pele?

Atualmente são cada vez mais as mulheres que têm cuidados para com a pele, pois ter uma pele bonita é um dos seus principais ideais. Tendo em conta a evolução da estética e da medicina, hoje em dia podemos nos deparar como inúmeros tratamentos que nos permitem alcançar esse feito de forma rápida, simples, eficaz e acima de tudo económica. Eis alguns dos melhores tratamentos: tratamento a laser, botox, peeling, cosméticos e até mesmo a cirurgia plástica.

Como pode verificar hoje em dia a oferta de tratamentos e de cosméticos tem vindo a evoluir cada vez mais, isto que de certa forma permite combater todos os sinais de envelhecimento, bem como algumas imperfeições de forma bastante satisfatória.

Tal como já fora referido, ter uma pele bonita e livre de imperfeições, já é possível, isto através de pequenos procedimentos, estes que são cada vez menos invasivos e económicos.

Como sabemos, ao longo dos anos o nosso corpo e organismo começam a sofrer as alterações resultantes do tempo, e a pele não é excepção, pois ao longo dos anos a nossa pele começa a perder a sua luminosidade e elasticidade, isto que de certa forma leva ao aparecimento das rugas, bem como ao aumento da flacidez da mesma.

Contudo, se pensa que o envelhecimento se deve única e exclusivamente devido ao factor tempo engana-se, pois as alterações da nossa pele podem ser desencadeadas também por componentes externos, como é o caso do fumo, poluição, sol e stress. Pois estes simples componentes promovem a aceleração do envelhecimento precoce da nossa pele, levando assim a que esta venha a sofrer inúmeras alterações, como o aparecimento de rugas, manchas e outros sinais do envelhecimento precoce da nossa pele.

Como a pele envelhece internamente?

Como sabemos, a pele poderá ser subdividida em três camadas, a epiderme, a derme e a hipoderme, sendo que com o tempo, é na derme que começam a aparecer as alterações mais visíveis. No processo de envelhecimento, a pele começa a perder a sua capacidade de renovação celular, para além disso, devido à diminuição da produção hormonal, a pele ao longo do tempo começa a ressentir-se, ficando assim ressecada e sem brilho.

Em relação à derme, com o tempo esta começa a apresentar menos gel coloidal e começa a perder a sua eficácia no que toca ao equilíbrio da produção de fibras de elastina e colagénio, retenção de água, componentes estes que dão toda a sustentabilidade à nossa pele. Deste modo, com todas estas alterações, a nossa pele começa a ter dificuldades na manutenção da sua elasticidade e firmeza, ficando assim bastante fragilizada.

Para além de todas as alterações apresentadas anteriormente, com o tempo, os vasos sanguíneos também começam a sofrer algumas alterações, deste modo perdem algumas das suas capacidades, como a de eliminação de toxinas, a nutrição das células da epiderme e a oxigenação das células da epiderme. Deste modo pode-se dizer que devido à diminuição da capacidade funcional dos vasos sanguíneos a renovação celular poderá ser afetada.

Como sabemos as nossas células comunicam entre si de forma a manterem as suas funcionalidades activas, porém com o tempo a sua comunicação fica afetada, levando assim à fragilização e ao desequilíbrio de grande parte dos processos naturais, dentro deles os que foram anteriormente mencionados.

Quanto ao envelhecimento da pele, este poderá vir a ser dividido em dois tipos, sendo estes o envelhecimento intrínseco – degenerativo do organismo e o extrínseco – envelhecimento provocado essencialmente pela exposição constante aos raios solares.

Quanto ao envelhecimento intrínseco, sabe-se que este se começa a desenvolver por volta dos 25 anos de idade, sendo essencialmente caracterizado pela diminuição da produção de colagénio e elastina, diminuição do tecido gorduroso, diminuição da firmeza e elasticidade, diminuição da capacidade da retenção de líquidos, alterações estas que levam ao ressecamento da pele. Para além disso dá-se a diminuição da densidade óssea, processo este inevitável com o passar do tempo.

Quanto aos agentes externos responsáveis pelo envelhecimento da pele, o sol continua a ser o principal interveniente do mesmo. Logo as partes que se encontram diariamente em contacto direto com o mesmo, como é o caso das mãos e do rosto, tendência a ficar muito mais enrugadas e manchadas do que as zonas do corpo que se encontram protegidas pela roupa, sendo este processo denominado por fotoenvelhecimento. Quanto à evolução deste processo, sabe-se que esta varia muito de acordo com a raça e o sexo, deste modo as pessoas cuja sua tonalidade de pele seja mais clara, apresentam os sinais de envelhecimento de forma mais rápida e visível, uma vez que a apresentam menos melanina – pigmento responsável pela cor da pele.

Quanto aos sexos, sabe-se que a mulher está mais vulnerável ao envelhecimento da pele, em especial quando entra na fase da menopausa, isto porque nesta fase da vida, dá-se uma diminuição da produção de estrogénio, sendo este um dos principais agentes responsáveis pela diminuição da produção de colagénio, bem como da massa óssea.

Cientificamente, sabe-se que o envelhecimento poderá ser subdividido em três teorias, a teoria genética, a teoria de radicais livres e a teoria hormonal. Entendamos um pouco melhor o que diz cada teoria:

Teoria genética: Todas as pessoas têm um relógio do tempo, relógio este que é definido para ir para fora;
Teoria de radicais livres: Caracterizada pela incapacidade do organismo responder para com os radicais livres à medida que a pele envelhece, afectando assim o envelhecimento, ou seja acaba por acelerar este processo.
Teoria hormonal: Responsabiliza a menopausa, a osteoporose, as doenças de cariz cardiovascular e a andropausa, pelo processo de envelhecimento precoce, isto porque estas alterações levam a que haja uma diminuição da produção hormonal do organismo.

AS MARAVILHAS DE CREMES ANTI ENVELHECIMENTO

Antes da evolução da comercialização, e até mesmo da globalização o creme anti envelhecimento passou a ser algo indispensável para muitas pessoas, sendo inicialmente vocacionados unicamente para as mulheres, porém não tardou muito para que estes produtos começassem também a ser concebidos para o público masculino, sendo hoje em dia comercializados inúmeros produtos para os mesmos, uma vez que são cada vez mais os homens que se preocupam com a sua aparência.

Apesar de hoje em dia, os cremes anti envelhecimento serem uma das principais soluções procuradas para o combate ao envelhecimento precoce, ainda existem muitas pessoas com algumas dúvidas em relação aos mesmos, isto porque, com a elevada procura dos mesmos, foram sendo criadas cada vez mais marcas, deste modo a escolha de qualquer creme anti envelhecimento tem vindo a tornar-se cada vez mais complicada, essencialmente devido ao aumento de escolha no mercado. Deste modo, tendo em conta as necessidades atuais, quer dos homens quer das mulheres, deixamos-lhe algumas dicas que lhe poderão ser muito úteis na hora da escolha do seu creme anti envelhecimento.

- Antes de adquirir qualquer tipo de creme, consulte o seu dermatologista, para que este lhe possa dar todas as informações acerca da sua pele, nomeadamente qual o seu tipo de pele. Pois como sabemos cada tipo de pele requer um cuidado específico, e o que poderá apresentar resultados numa pele seca poderá não apresentar quaisquer tipo de resultados numa pele oleosa.

- Quando for para adquirir o seu creme anti envelhecimento, procure saber se este irá afectar a produção de colagénio por parte da sua pele, bem como o seu óleo natural, pois como é sabido a diminuição do colagénio é um dos principais elementos responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele.

- Antes de comprar o seu creme anti envelhecimento, procure saber com o seu dermatologista quais os melhores componentes que um creme deverá ter para que possa fazer efeito sobre a sua pele. Lembre-se que só um especialista lhe poderá indicar de forma mais acertada que tipo de creme deve procurar, ou melhor dizendo que tipo de componentes deve conter o seu creme.

Tal como já fora referido existem inúmeros factores externos e internos que poderão levar ao envelhecimento precoce da sua pele, deste modo deverá procurar evitar o consumo excessivo de álcool, o consumo de tabaco, a prática de uma má alimentação e todos os elementos que levem a que o seu organismo venha a sofrer alterações hormonais.

Como pode verificar a utilização dos cremes anti envelhecimento é algo que é imprescindível, no entanto para além disso, e uma vez que o sol é o principal interveniente directamente relacionado com o envelhecimento da pele, a utilização de protector solar é algo imprescindível. Sendo assim deverá ter o cuidado de colocar protector solar duas a três vezes ao dia, de forma a manter intacta a primeira camada da sua pele.

Composição – cremes anti idade

Como sabemos, os cremes anti envelhecimento, são compostos essencialmente por componentes antioxidantes, vitaminas, componentes que levam ao aumento da produção de colagénio, componentes clareadores de manchas, hidratantes, entre outro. No entanto na hora da escolha do seu creme anti envelhecimento deve procurar um creme que contenha alguns dos seguintes componentes na sua composição:

Retinol, retinladeído, ácido retinoico, ácido glicólico e vitamina C. Onde de entre todos os componentes anteriormente citados o ácido retinoico é o mais importante, uma vez que este elemento rico em vitamina A promove a proliferação das células, a aceleração da eliminação das células mortas e eliminação do danos causados pelo sol no que toca ao ADN das células.

A idade e a sua relação com os cremes

Como sabemos, os cuidados a ter com a pele, dependem muito da idade e do tipo de problemas que a pele apresenta, pois se pensa que ao usar um creme anti idade que seja recomendado para uma idade superior à sua lhe trará mais benefícios do que o creme especifico para a sua idade, engana-se, pois em cada idade as necessidades da mesma divergem e usar um creme inapropriado para a sua idade poderá ser bastante prejudicial para a sua pele, pois ao invés de apresentar benefícios só lhe acarretará problemas. Pois como sabemos, a composição de um creme que seja indicado para 20 anos é muito menos agressiva do que a composição de um creme que seja indicado para os 60 anos, para além disso, uma e uma vez que um creme indicado para 60 anos é muito mais gorduroso do que um creme indicado para os 30, aos 30 anos se usar um creme para 60 anos a sua pele poderá vir a desenvolver acne, essencialmente devido à oleosidade presente no mesmo.

Para além de tudo o que já fora frisado, a utilização de um creme inapropriado para a idade poderá também desencadear irritação e alergias na pele.

Tratamento para cada idade – Cada idade requer um tratamento específico

O envelhecimento é um processo inevitável, logo saber envelhecer é algo que deve fazer parte do interior de cada pessoa, pois como sabemos ter uma pele de 20 anos aos 50 é algo totalmente impossível, pois não existe um creme milagroso que possa combater e eliminar todas as marcas do tempo. É por essa ilusão que cada vez nos deparamos mais com rostos esticados e até mesmo desfigurados, devendo este resultado essencialmente á realização excessiva de determinados procedimentos. No entanto a realização de alguns cuidados diários poderá ser determinante para a juventude da sua pele, isto claro quando realizados de acordo com a idade. Vejamos os cuidados adequados à sua idade:

20 anos

- Utilização de protector solar;
– Realização de limpeza de pele e hidratação da mesma;
– Prefira produtos sem álcool e com pouco óleo, uma vez que o óleo promove a formação de acne;

30 anos

- Utilização de protector solar;
– Realização de limpeza de pele e hidratação da mesma;
– Utilização de cremes anti idade, devendo estes estar de acordo com a sua idade;
– Realização de tratamentos para a eliminação das manchas na pele, podendo assim recorrer a tratamentos a laser ou peeling;

40 anos

- Utilização de protector solar;
– Realização de limpeza de pele e hidratação da mesma;
– Utilização de cremes anti idade, devendo estes estar de acordo com a sua idade;
– Realização de tratamentos para a eliminação das manchas na pele, podendo assim recorrer a tratamentos a laser ou peeling;
– Realização de ginástica facial;
– Implementação de cuidados alimentares, devendo assim preferir uma alimentação rica, saudável e equilibrada;
– Utilização de suplementos vitamínicos e nutritivos;

50 anos

- Utilização de protector solar, preferencialmente com factor 50;
– Realização de limpeza de pele e hidratação da mesma;
– Utilização de cremes anti idade, devendo estes estar de acordo com a sua idade;
– Realização de tratamentos para a eliminação das manchas na pele, podendo assim recorrer a tratamentos a laser ou peeling, infravermelho e radiofrequência;
– Realização de ginástica facial;
– Implementação de cuidados alimentares, devendo assim preferir uma alimentação rica, saudável e equilibrada;
– Utilização de suplementos vitamínicos e nutritivos;
– De acordo com os sinais de envelhecimento já poderá começar a recorrer a tratamentos que lhe permitam aumentar o volume e disfarçar alguns defeitos associados ao factor tempo. Para isso poderá recorrer a injecções de ácido hialurónico e em determinados casos, claro que de acordo com as necessidades de cada pessoa poderá mesmo recorrer aos excertos de gordura;

60 anos

Nesta fase deverão ser realizados todos os procedimentos anteriores, no entanto quando as pessoas no passado não realizaram qualquer tipo de tratamento de cariz preventivo, nesta fase poderá vir mesmo a ser necessário a realização de cirurgias plásticas, de forma a rejuvenescer um pouco mais a sua pele. Porém cuidado com os exageros, pois rejuvenescer não significa voltar a ter a pele que tinha aos 20 anos, logo tenha o cuidado de não cair em exageros. Lembre-se sempre que muitas vezes pessoas de 40 anos que querem parecer ter 30 anos acabam por parecer pessoas com 60 anos, tudo isto devido a realização de procedimentos excessivos.

Cuide correctamente da sua pele e prolongue a sua juventude.

Categories: Dermatologia

Deixe uma resposta