Dieta hipoglicídica (dieta pobre em carboidratos)

Informações úteis sobre a dieta hipoglicídica também conhecida como dieta pobre em carboidratos. Conheça a resposta ás suas dúvidas.

Por que a dieta hipoglicídica faz baixar a insulina? Isso não é perigoso?

Quando se tira os carboidratos (hidratos de carbono) de um plano alimentar inibe-se a produção de insulina, hormona responsável por fazer com que a glicose resultante da transformação dos alimentos e outros nutrientes consiga penetrar nas células. Como os carboidratos são a nossa principal fonte de glicose, sem eles a quantidade da substância que circula no nosso organismo é bem pequena. Logo a necessidade de insulina é menor ainda. Sem glicose no sangue, e sem insulina, o organismo vai buscar as suas reservas de gordura a energia de que necessita. E o corpo emagrece.

Durante quanto tempo pode-se fazer uma dieta hipoglicídica?

Esta dieta pode ser seguida indefinidamente. Mas a primeira fase, mais restritiva, só é recomendada por no máximo duas semanas. E sempre com acompanhamento médico. Um organismo pode passar eternamente sem carboidratos simples (doces, açúcares em geral). Sem proteína, porém, há fraqueza muscular, baixa dos anticorpos que conferem-lhe imunidade, redução do colágeneo que é formado por elas. A pele desidrata e as células ficam sem matéria-prima.

A dieta hipoglicídica pode ser feita por alguém que tenha problemas de pressão arterial ou de colesterol?

75% do colesterol do organismo são produzidos pelo fígado sob a acção da insulina; os outros 25% vêm da alimentação. Como a dieta provoca uma baixa na insulina, há também uma redução na produção de colesterol pelo fígado. Também sabemos que não é exactamente toda e qualquer gordura a culpada pelas doenças coronarianas.

Gorduras monoinsaturadas, como a do azeite de oliva ou do abacate, produzem o bom colesterol e devem fazer parte de uma alimentação saudável. Mesmo as carnes vermelhas (gordura saturada), cujo consumo se recomenda diminuir por serem mais gordurosas, não estão proibidas no regime hipoglicídico. Cada caso é um caso e só o médico e os exames realizados poderão dar a decisão final.

Este plano alimentar é mais fácil de ser seguido, se comparado com os demais?

Sem dúvida. Como não há contagem de calorias diárias, a pessoa sente-se mais livre, menos policiada, e isso tem um efeito muito positivo. Sem falar que poder ingerir proteínas à vontade é óptimo – as carnes dão sensação de saciedade e são incrivelmente saborosas. Quer dizer, não sente fome e, mesmo assim, vê que está conseguindo rapidamente. Compensador, não?

Qualquer pessoa pode seguir este plano alimentar?

Sim, desde que a cumpra conscientemente do que está a fazer e sempre lembrando a hipotese que pode parar quando quiser ou então usando uma opção inteligente por exemplo começar com apenas dois dias por semana e ir aumentando a cada semana um dia e nunca ultrapassando os seis dias da semana, porque qualquer plano alimentar como objectivo a reeducação alimentar de qualquer pessoa não deve ultrapassar os seis da semana porque poderá ocorrer disturbios psicológicos não benéficos a continuação desse plano alimentar e a vida da própria pessoa.

Quanto se consegue emagrecer com a dieta hipoglicídica?

Em geral o emagrecimento é rápido e acentuado. Em duas semanas pode-se perder mais de 5 kg – dependendo, claro, do metabolismo e do histórico do paciente. Os obesos também conseguem num mês, uma redução em torno de 22% do nível de colesterol total, aumento de 31% do bom colesterol, redução de 36% dos triglicerídos (um tipo de gordura), equilíbrio da pressão arterial em pacientes hipertensos e melhora da disposição física, com significativo aumento da força muscular.

Categories: Dietas

Deixar uma resposta